• Moda Masculina, com Caio Braz e Pedro Salomão

    19 de novembro, 2015

    Captura de Tela 2015-11-18 às 22.26.46

     

    Com o passar dos anos, o vestuário masculino foi mudando e se adaptando aos novos estilos de vida, partindo de uma aparência mais formal para a informal. O interesse por qualidade, caimento e durabilidade foi se tornando algo comum a se considerar antes de comprar uma roupa, fosse ela uma bermuda ou um terno; com o aumento das opções de roupas, os homens passaram a se interessar cada vez mais pelo mercado da moda, também influenciados pelas tendências nacionais e internacionais.

    Se antes moda era algo mais voltado para as mulheres, hoje em dia não é mais nenhum tabu observar que homens cada vez mais são o foco do mercado têxtil e até mesmo dos grandes veículos de comunicação de moda, de sites a revistas como GQ, voltada para o público masculino.

    Foi a partir de 90, com a passagem do ambiente de trabalho para algo mais casual, que o público masculino passou a se dividir entre um estilo de sportwear a algo mais clássico e estiloso. Com isso, a indústria têxtil passou a produzir mais roupas casuais e menos ternos, para atender esse novo nicho que crescia cada vez mais.

    À medida que as roupas de alfaiataria se tornaram mais casuais, a distinção entre categorias ficou menos clara; hoje em dia, há uma grande mistura entre os guarda-roupas de negócio e de lazer, como um blazer combinado com um jeans.

    Se antigamente o Daily News Record era o jornal semanal da indústria da moda masculina, hoje em dia sites e blogs de moda, revista como VIP e GQ e Instagrams de celebridades se transformaram em fontes de inspirações para os homens.

     

    Pedro Salomão e a inspiração carioca de se vestir

    Pedro Salomão, um dos sócios da Radio Ibiza, acompanha o desenvolvimento de algumas coleções de marcas de roupas masculinas. Ele acha que está na hora dos homens assumirem um estilo próprio masculino e, por isso, procura se manter próximo sempre que é convidado para acompanhar e divulgar tudo de diferente e legal que vê em marcas que levantam esse espírito, como Foxton, Reserva, Armadillo, Handred, Richards, entre outras.

    Para ele, o Rio é um grande lançador de tendências, já que aqui surgiu, por exemplo, o biquini e as havaianas. Para ele, não tem como um homem não se interessar por moda. “Mais do que isso, o homem precisa entender de moda feminina. O mundo não tem mais espaço pra movimentos totalitaristas, machismo, feminismo… Vivemos e somos tratados como uma coisa só!”, afirma Pedro.

    Moda masculina deixou de ser algo restrito aos homossexuais e passou a ser questão de sobrevivência estética. “E, nesse ponto, devemos muito aos homossexuais que, com a maior liberdade, trouxeram em sua maneira de vestir uma alegria e elegância muito maior ao universo masculino!”, comenta Pedro.

    Pedro Salomão tem um estilo irreconhecível meio tropical/praiano, e quase sempre é visto usando espadrilles, bermuda curta e camisa de alfaiataria, sempre com estampas alegres.

     

    Caio Braz e a arte de falar sobre o essencial na moda masculina

    Caio Braz é considerado um dos expert em moda masculina. Hoje apresentador do GNT Fashion, o pernambucano começou entrevistando a galera fashion para a GEMA TV (uma Web TV que não existe mais); depois, criou seu blog e começou a produzir vários vídeos. Nesta época, o GNT o convidou para um teste, foi quando ele entrou no canal aonde continua até hoje.

    Com o tempo, Caio desenvolveu outros trabalhos como designer e se concentrou na moda para homens, cobrindo semanas de moda.

    Para Caio, o brasileiro ainda considera um tabu seguir tendências de moda masculina, mas, para ele, no resto do mundo, o homem está bem ligado, o que faz o mercado masculino de moda não parar de crescer, principalmente no luxo.

    Para ele, o seu modo de se vestir influencia totalmente na sua convivência; considera que a moda é um lugar de expressão e, para quem gosta, de brincadeira. “Meu estilo hoje está um pouco mais prático por conta das viagens, mas ainda assim curto algumas tendências: longlines, black and white, muita roupa esportiva. A gente tem que comprar poucas e boas coisas.”, completa ele.

    “O ‘homem comum’ gosta de ter poucas e boas escolhas, o homem mais moderno gosta de brincar mais com a moda. Fico feliz em ver tudo isso acontecer e ajudar a promover essa mudança de comportamento.” comenta Caio.

    Caio Braz é um expert quando o assunto é sobre peças essenciais no guarda-roupa masculino; para ele, tem que ter muitas camisas e t-shirts brancas de diferentes tecidos, tamanhos e modelagens, calça khaki, o melhor terno preto que couber no seu bolso, jeans rasgados, tênis branco, e um montão de roupa de academia: “de preferência, tudo preto”, finaliza ele.

    Agradecimentos: Caio Braz e Pedro Salomão

     

Raquel P. Fejgiel

Criei o blog em 2014, com a intenção de escrever sobre moda, gastronomia, lifestyle, beleza e viagens. Sou formada em Jornalismo na UFRJ, Produção de Moda pela Puc-Rio e Branding no IED Rio. Entre vários cursos que fiz na área de moda estão alguns como "Marcas que fazem a Moda no Rio" na Casa do Saber, Personal Stylist e Jornalismo de Moda no Instituto Rio Moda.

See more

Most Read

Newsletter

Advertising